Impensável

Manifestações são legítimas, mas impeachment é inviável, diz Michel Temer

"Sobre essa história de impeachment, eu nem falo nisso, porque é absolutamente inviável, impensável, é uma quebra da institucionalidade que não é útil para o país", afirmou o vice

SÃO PAULO – Em meio à tensão política e aos protestos que agitam o País contra e a favor do governo, o vice-presidente Michel Temer (PMDB) disse nesta sexta-feira (13) que é “absolutamente inviável e impensável” falar em impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). Vale lembrar que caso a presidente seja deposta do cargo, quem assumiria seria Temer.

“Sobre essa história de impeachment, eu nem falo nisso, porque é absolutamente inviável, impensável, é uma quebra da institucionalidade que não é útil para o país. Se o país passa uma dificuldade, você supera essa dificuldade, mas não pensa nessa hipótese”, disse Temer.

Para ele, as manifestações são “legítimas” e até boas para a democracia, desde que sejam pacíficas, sem agressões a pessoas e a patrimônios. Nesta sexta, o deputado Jair Bolsonaro protocolou na Câmara um pedido de impeachment da presidente Dilma. Além disso, o Solidariedade disse que pretende usar as manifestações tentar reunir 1 milhão de assinaturas para entregar ao Congresso um pedido formal para a retirada da petista do comando do país.