Protesto

Manifestações contra crise hídrica irão para Paulista na sexta com apoio do PT

Petistas querem recuperar sua imagem indo às ruas para protestar contra a crise enfrentada pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), segundo a colunista do Estado de S. Paulo, Sonia Racy

SÃO PAULO – Depois de milhares saírem às ruas para protestar contra o governo no domingo, uma nova manifestação já está marcada para esta sexta-feira (20) na avenida Paulista. Desta vez, segundo a colunista do Estado de S. Paulo, Sonia Racy, o motivo será criticar a crise do abastecimento de água que São Paulo enfrenta desde 2014. 

O protesto terá participação de organizações sindicais como a CUT (Central Única dos Trabalhadores) e a Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo). A concentração será no vão do Masp e o ato caminhará rumo à Secretaria de Recursos Hídricos do Estado, na Rua Bela Cintra.

Para os petistas, o partido enfrenta “o pior momento de sua história” e deve ir às ruas para recuperar a sua imagem. 

PUBLICIDADE

Cantareira
Atualmente, o Sistema Cantareira, que abastece 6,2 milhões de pessoas está operando com 15,6% da sua capacidade de acordo com dados da Sabesp (SBSP3). Pelos critérios da nova medição da companhia, considerando o volume útil acrescido dos volumes autorizados pelo regulador referentes às reservas técnicas I e II (182,5+105 milhões de metros cúbicos, respectivamente), o nível está em 11,9%. 

Mesmo assim, o sistema continua operando no volume morto, uma vez que ele “tomou emprestado” 29,2% de duas cotas de reserva técnica, no ano passado, sendo 18,5% do primeiro volume morto e 10,7% do segundo. Para sair do negativo, ainda é preciso recuperar mais 13,6%.