Mais dekasseguis votaram no 2º turno, mas não somaram nem metade do eleitorado

Entre 558 brasileiros residentes no Japão aptos para votar, apenas 235 compareceram às urnas; Alckmin foi favorito

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Nem metade dos brasileiros residentes no Japão habilitados para votar foram às urnas no último domingo (29), no 2° turno das eleições presidenciais do País, apesar de o comparecimento ter sido maior que o da primeira etapa.

Segundo os últimos dados* divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), desta vez, 235 dekasseguis exerceram seu direito entre 558 eleitores aptos, contra 226 no 1º turno. Os votos válidos aumentaram de 216 para 229.

O candidato Geraldo Alckmin, do PSDB, ficou com 178 votos, que representam 77,7% dos válidos, enquanto Luiz Inácio Lula da Silva, do PT, recebeu 51 votos, ou 22,7% dos válidos. Os brancos (4) e nulos (2) somaram 2,6% do total.

Distância e dificuldade burocrática

Aprenda a investir na bolsa

Um dos motivos para o baixo comparecimento da comunidade às urnas, segundo a Associação Brasileira de Dekasseguis (ABD), foi o fato de haver apenas dois colégios eleitorais (nos consulados de Tóquio e Nagoya).

Como domingo é o único dia de descanso na semana útil do país, muitos dos brasileiros que trabalham de segunda-feira a sábado preferiram descansar a viajar até a urna mais próxima.

Além disso, o número de dekasseguis que não conseguiram transferir o título de eleitor ou se alistar pela primeira vez antes do início do pleito, em 1º de outubro, ultrapassou a marca dos mil, devido a erros na documentação disponibilizada pelos sites dos dois consulados mencionados.

* Os dados são parciais e, de acordo com o TSE, os números finais da apuração no Japão ainda não foram divulgados. Os números divulgados são referentes à apuração feita até as 18h10 de domingo