Mais de 580 mil eleitores podem ter o título cancelado

Eleitores não votaram e não justificaram a ausência nas últimas três eleições. Se não regularizarem a situação, documento será cancelado

SÃO PAULO – O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) divulgou, na última quinta-feira (12), que exatos 582.828 eleitores podem ter o título de eleitor cancelado porque não votaram nas últimas três eleições e também não justificaram a ausência.

O cancelamento será feito a partir de 30 de abril, caso essas pessoas não procurem o cartório eleitoral de suas respectivas cidades, entre os dias 16 de fevereiro e 16 de abril, para regularizar a situação. O número tem como base a lista de eleitores identificados como faltosos nas últimas eleições, com respectivo número de inscrição, encaminhada pela Corte aos cartórios eleitorais.

Estados

O número de faltosos representa 0,44% do total de eleitores do País, de 130,604 milhões de pessoas. São Paulo é o estado com o maior número de eleitores em situação irregular: 154.513.

PUBLICIDADE

Em seguida, aparecem o Rio de Janeiro (60.283), Minas Gerais (53.275) e a Bahia (37.302). Na outra ponta, Roraima é o estado com o menor número de eleitores faltosos, apenas 1.667.

Os eleitores podem consultar a situação do título no site do TSE, por meio do número do documento ou o nome.

Cancelamento do título

Quem tiver o título eleitoral cancelado não poderá se inscrever em concurso ou prova para cargo ou função pública, ou neles tomar posse. Também não poderá receber vencimentos, remuneração, salário ou proventos de função ou emprego público, de fundações governamentais, empresas, institutos e sociedades de qualquer natureza.

Além disso, o eleitor não poderá obter empréstimo em autarquias, sociedades de economia mista, nos institutos e caixas da Previdência Social, ou em qualquer estabelecimento de crédito mantido pelo governo. Também ficará impedido de obter o passaporte ou carteira de identidade.