Mais de 50% dos japoneses acham que eleição deveria ser antes de 30 de agosto

Primeiro-ministro convocou eleições para o fim do próximo mês, mas data ainda não agrada grande parte da população

SÃO PAULO – Nesta semana, o primeiro-ministro do Japão, Taro Aso, anunciou que irá dissolver o parlamento japonês e que as novas eleições no país ocorrerão em 30 de agosto. Porém, a data ainda não agrada grande parte da população japonesa.

Segundo uma pesquisa da Yomiuri Shimbun, 56% das pessoas acreditam que as eleições deveriam ocorrer antes do dia 30 de agosto, enquanto 30% afirmaram que a data é apropriada e 10% disseram que deveria ter sido determinada uma data posterior à escolhida.

Desde que assumiu o cargo de primeiro-ministro, em setembro do ano passado, Aso tem sido pressionado pela oposição para convocar eleições, e pesquisas indicavam que grande parte da população concordava com a dissolução do parlamento e a antecipação das eleições.

Popularidade de Aso

PUBLICIDADE

A pesquisa também constatou mais uma queda na aprovação ao governo do atual primeiro-ministro, que passou de 19,7% para 18,6%.

Já a taxa de desaprovação registrou crescimento, passando de 66,4% na última pesquisa, para 72,1% na atual. Entre as influências para esse resultado, estão as pequenas mudanças feitas no Gabinete, por Aso, e as eleições ocorridas para a Assembleia Metropolitana de Tóquio, na qual o partido do primeiro-ministro, Partido Liberal-Democrata, sofreu grande derrota.

Para as próximas eleições, 36% afirmou que votará no Partido Democrático do Japão, da oposição, contra 21% que votarão no partido do governo.