Mais de 5 mil japoneses moram em cafés por não terem dinheiro para aluguel

O levantamento aponta ainda que, ao contrário do que se imaginava, o grupo de refugiados não é formado apenas por jovens

SÃO PAULO – A crescente diferença social no Japão tem aumentado o número de pessoas que, sem ter condições de comprar ou alugar um imóvel, acaba se refugiando em internet cafés, para não passarem a noite ao relento.

De acordo com relatório divulgado pelo Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar do Japão, atualmente cerca de 5.400 pessoas usam os café para passarem a noite, a baixos custos.

O levantamento aponta ainda que, ao contrário do que se imaginava, o grupo de refugiados não é formado apenas por jovens. A incidência de homens acima de 50 anos é bastante grande.

Realidade

PUBLICIDADE

O estudo mostra que metade das pessoas adotou esse estilo de vida após perder o emprego. Muitos internet cafés têm usuários fixos, que chegam a morar nesses lugares.

No Japão, os cybercafés possuem sofás, máquinas de comida e bebida. Além disso o valor cobrado para se ficar lá, é bem menor que a hospedagem em um hotel, por exemplo.

O preço por hora em um café é de 200 ienes, mas muitos estabelecimentos oferecem pacotes por 1.500 ienes, ou seja, US$ 12,92.

Diante da gravidade do problema, o Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar pretende começar ainda este ano um estudo detalhado sobre o fenômeno.