RADAR INFOMONEY Hering (HGTX3) sai do básico com plano ousado para 2021. Vai funcionar?

Hering (HGTX3) sai do básico com plano ousado para 2021. Vai funcionar?

Na Celac

Maduro fala em “situação de emergência” e pede “plano de solidariedade entre países irmãos”

Em encontro esvaziado, presidente venezuelano rouba atenções e propõe plano anticrise para estimular a cooperação na América Latina e Caribe

SÃO PAULO – Em tom mais brando que o esperado após declarações de que iria “com tudo” para cima do líder argentino Mauricio Macri — ausente no encontro por conta de uma fratura na costela — na cúpula da Celac (Cúpula da Comunidade dos Estados Latino-Americanos e Caribenhos), o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, roubou as atenções durante o esvaziado encontro, que contou com a presença de 14 dos 33 chefes de Estado que formam o governo, e não trouxe consenso para a criação de metas conjuntas. Na última quarta-feira (27) o líder do país bolivariano sugeriu um plano anticrise para estimular a cooperação regional.

“Vivemos uma situação de emergência”, afirmou Maduro, conforme noticiou o jornal O Estado de S. Paulo. “A bonança do preço do petróleo, que serviu para grande investimento social, também reafirmou a dependência do modelo rentista petroleiro. Em tempos de crise, as famílias se ajudam. É hora de um plano de solidariedade”.

O presidente venezuelano não escondeu os problemas vividos pelo seu país e disse que a situação é difícil, em referência à hiperinflação, o desabastecimento e a perda em arrecadação com a crise. Ele faz um apelo por maior proximidade entre “os países irmãos da América Latina”.

Em meio ao aumento do acirramento com a Argentina, Maduro recuou na presença da vice-presidente hermana Gabriella Michetti. Ao contrário das esperadas respostas às críticas do país vizinho, o líder bolivariano propôs solidariedade na batalha para recuperar as Ilhas Malvinas, hoje posse britânica.