Delação premiada

Machado afirma em delação que pagou R$ 70 mi a Renan, Jucá e Sarney, segundo jornais

Ex-presidente da Transpetro disse que valor mais expressivo, de R$ 30 milhões, foi destinado a Renan Calheiros, que também é citado como principal responsável pela indicação de Machado para a presidência da companhia

Aprenda a investir na bolsa

Em delação premiada, o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado afirmou que pagou R$ 70 milhões em propina de contratos da estatal para o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), o senador Romero Jucá (PMDB-RR) e o ex-presidente da República e ex-senador José Sarney (PMDB-AP), entre outros líderes do partido, segundo reportagens dos jornais O Globo, Folha de S.Paulo e O Estado de S.Paulo.

O valor mais expressivo, de R$ 30 milhões, foi destinado a Renan, que também é citado como principal responsável pela indicação de Machado para a presidência da Transpetro. Já Sarney e Jucá teriam recebido R$ 20 milhões cada. Os senadores Edison Lobão (PMDB-MA) e Jader Barbalho (PMDB-PR) também teriam recebido dinheiro desviado da empresa.

Renan negou que tenha recebido dinheiro de Machado: “Jamais recebi vantagens de ninguém e sempre tive com Sérgio Machado relação respeitosa e de estado”, disse o senador, segundo um de seus assessores ouvidos pelo O Globo. Em nota, Jucá disse que “nega o recebimento de qualquer recurso financeiro por meio de Sérgio Machado ou comissões referentes a contratos realizados pela Transpetro”. Sarney também nega ter recebido dinheiro de recursos ilegais. 

Aprenda a investir na bolsa