Lula tenta acelerar integração do Brasil com Chile e Argentina

Assim como Hugo Chávez, presidente tenta viabilizar acordos e maior estreitamento político com outros países

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva chega nesta quarta-feira (25) ao Chile e parte para a Argentina, na quinta-feira, com o objetivo de aumentar a influência e o peso brasileiros nesses dois parceiros do País na América Latina.

Na capital Santiago, Lula assinará cinco acordos. Os mais esperados são o da área de biocombustíveis e uma declaração conjunta com a presidente chilena Michelle Bachelet. Já na capital argentina, Lula não irá assinar nenhum documento, mas sim tentar se aproximar do governo de Nestor Kirchner após seguidos embates tarifários.

A postura do presidente brasileiro, em um primeiro momento, é de acelerar a integração entre o Brasil e os seus vizinhos. No entanto, também parece ser uma resposta às recentes viagens do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, em uma tentativa de conter o avanço político do venezuelano em meio aos seus pares latino-americanos.

Secretária dos Portos

Aprenda a investir na bolsa

Também nesta quarta-feira, o presidente convidou oficialmente o ex-ministro da Integração Nacional Pedro Brito (PSB) para assumir a Secretaria Nacional de Portos.

Até então, a administração dos portos era da competência do Ministério dos Transportes. Lula decidiu criar a secretaria para garantir espaço ao PSB no governo depois da reforma ministerial. O partido havia perdido o Ministério da Integração Nacional para o PMDB.

Lula não definiu ainda a data em que a secretaria será criada. A expectativa é que o governo edite uma medida provisória para efetivar o órgão. Resta saber se a secretaria vai incorporar também as hidrovias, o que ainda não estava definido de acordo com o líder do PSB na Câmara dos Deputados, Márcio França.