NO AR Como é possível fazer trades começando com apenas R$ 25

Como é possível fazer trades começando com apenas R$ 25

Frases da semana

Lula, Temer e FHC “trancados” e a “Grécia brasileira”; as frases que agitaram a semana

A semana foi marcada pelo "fica Levy" e pela fala de Michel Temer; enquanto isso, uma sugestão bem inusitada para resolver a crise ganhou destaque

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A semana foi marcada pela novela “fica Joaquim Levy” e pela confirmação de que ele ficará (pelo menos por ora). Ao mesmo tempo, o vice-presidente Michel Temer abalou os mercados ao mostrar que está cada vez mais afastado do governo Dilma Rousseff. 

Enquanto isso, a semana foi de análises ainda piores sobre o cenário econômico brasileiro, ainda mais após o governo enviar o Orçamento de 2016 com déficit. Aliás, uma das sugestões para resolver a crise política (e, por tabela, a econômica), um tanto quanto inusitada, repercutiu e muito no mercado. 

Aprenda a investir na bolsa

Confira as frases da semana:

“Momento em que estamos vivendo é muito delicado, delicadíssimo”
Luiz Inácio Lula da Silva, durante a inauguração do Memorial da Democracia e citando o momento de irracionalidade emocional da sociedade brasileira.

“O Haddad tinha se comprometido a vir, mas não compareceu. Vai ver que ele está vindo a 50 km/h, não chegou ainda aqui em São Bernardo do Campo. Ou está vindo de bicicleta”
Lula, ao ironizar o seu afilhado político e prefeito de São Paulo, Fernando Haddad

“Infelizmente, o governo jogou a toalha”
Luiz Fernando Figueiredo, ex-diretor do BC, em entrevista ao Valor sobre o anúncio do envio do Orçamento de 2016 com déficit. “o Brasil precisa hoje de reformas estruturais relevantes, principalmente nos gastos obrigatórios. Caso contrário, o Brasil se tornará uma Grécia ou algo desse tipo”, completou.

“Hoje, realmente o índice é muito baixo. Ninguém vai resistir três anos e meio com esse índice baixo”
Michel Temer, vice-presidente, ao afirmar que é ‘difícil’ Dilma resistir mais 3 anos com baixa popularidade

“Pior momento de Dilma ainda está por vir; pico da crise política chegará de hoje até final do ano”
João Augusto de Castro Neves, diretor para América Latina da consultoria de risco político Eurasia; ele também destacou qual é a luz no fim do túnel para o governo. “Levy começa a trabalhar pelo legado dele; será aquele que introduzirá o debate do longo prazo, para avançar nas reformas”

PUBLICIDADE

“Está na hora dos políticos se entenderem. Tem que jogar em uma sala todos os maiores políticos desse país, Lula, Michel Temer e Fernando Henrique Cardoso, trancá-la e não deixar eles saiam de lá sem um acordo”
Abílio Diniz, sugerindo um acordo político através de uma situação um pouco inusitada

Levy: fica ou não fica?

“É evidente que a casa não está em ordem e a gente precisa crescer e ter a confiança para não ver o dólar disparar”
Joaquim Levy, durante audiência pública na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados, afirmando que é evidente que a “casa não está em ordem”

“É um desserviço para o país falar que o Levy está desgastado”
Dilma Rousseff na última quarta-feira, mostrando apoio ao ministro da Fazenda, Joaquim Levy, destacando que ele não está isolado

“Quem apostar [na saída de Levy do governo] vai perder”.
Aloizio Mercadante, ministro-chefe da Casa Civil na quinta-feira, em meio aos rumores de que Levy já teria sinalizado a sua saída.

“Quem apostar vai perder”
Aloizio Mercadante, ministro-chefe, sobre as apostas de que o ministro vai sair do governo. 

“Os que apostam no enfraquecimento de Levy e investem na fragilidade do Barbosa erram feio. São ministros importantes, valorizados e reconhecidos”
Edinho Silva, “dobrando” a aposta de Mercadante de que Levy vai continuar

A Grécia é logo aqui? 

“A bicicleta pode quebrar”
Augusto Nardes, ministro do TCU, sobre as pedaladas fiscais do governo que podem causar sérios problemas ao País

“Brasil está rapidamente se tornando a Grécia da América Latina”
Forbes, em matéria crítica sobre o Brasil

Bônus: Odebrecht e Renan

“Para alguém dedurar, ele precisa ter o que dedurar. Esse é o primeiro fato. Isso eu acho que não ocorre aqui”.
Marcelo Odebrecht, presidente da Odebrecht, em depoimento para deputados na CPI da Petrobras

“Tiro, porrada e bomba, como diz versos da música contemporânea, não reerguem nações, espalham ruínas e só ampliam escombros. Não seremos sabotadores da Nação”
Renan Calheiros, citando a “pensadora contemporânea” Valesca Popozuda

 

PUBLICIDADE