Por enquanto, sem pressão

Lula sinaliza que está cansado em tentar convencer Dilma a nomear Meirelles, diz Valor

Por enquanto, o ex-presidente não pressionará o governo por essa troca, mas PT insiste na substituição

SÃO PAULO – Os destaques dos jornais desta terça-feira apontam, mais uma vez, para o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, que enfrentou nos últimos dias pressões bem fortes para a sua saída do governo, capitaneada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Porém, as pressões diminuíram, pelo menos por enquanto. 

Conforme informa o jornal Valor Econômico de hoje, citando um dirigente petista, Lula tem sinalizado que está “cansado” do “trabalho de convencimento” de Dilma para nomear Henrique Meirelles, que foi presidente do Banco Central no governo Lula e é um dos mais cotados para assumir o posto. Por enquanto, o ex-presidente não pressionará o governo por essa troca.

Na avaliação do dirigente ouvido pelo jornal, além de não ter empatia pelo ex-presidente do Banco Central, Dilma não quer mostrar “subordinação total” a Lula, já que o ex-presidente pediu a saída de Aloizio Mercadante da Casa Civil e a nomeação de Jaques Wagner para a Pasta. Enquanto isso, o PT insiste na substituição de Levy por Meirelles. Porém, o comando petista pondera que o próximo ministro da Fazenda não deve ter autonomia para nomear o ministro do Planejamento, defendendo a manutenção de Nelson Barbosa à frente da Pasta.

PUBLICIDADE

Ontem, na Turquia, a presidente foi enfática, publicamente, na defesa de seu ministro. Com firmeza, Dilma disse respeitar o ex-presidente, mas que Levy, que a acompanha na reunião do G-20, fica onde está. Ela afirmou ainda que considera Levy “um grande servidor público”, que “tem compromisso com a estabilidade do país”, além de defender firmemente a aprovação da CPMF.

É hora ou não é de comprar ações da Petrobras? Veja essa análise especial antes de decidir:

 

Leia também:

Você investe pelo banco? Curso gratuito mostra como até dobrar o retorno de suas aplicações

PUBLICIDADE