Lula reforça clima de crescente otimismo em relação à economia brasileira

O momento é de oportunidades para o povo brasileiro, tanto para os trabalhadores como para os investidores, diz presidente

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Muita estabilidade é, na opinião do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a origem dos fatores que estão por trás do clima favorável em relação à economia brasileira que contagia investidores dentro e fora do Brasil.

O presidente lembrou de alguns fatores que conjugam um Brasil mais tranqüilo: grande superávit na balança comercial, taxas de juros em trajetória declinante, crédito em expansão e emprego crescente.

Ainda há muito a fazer

Para ele, se por um lado “é certo que ainda falta muito para a gente fazer”, por outro, também “é certo que as coisas estão acontecendo como há muito tempo não aconteciam”.

Aprenda a investir na bolsa

Mais até do justificar tanto otimismo, Lula foi além e reforçou: “eu estou otimista e faço parte desse clima”. Sejam quais foram os próximos itens da lista, para Lula, “não tem nada que possa atrapalhar o desenvolvimento e o crescimento do Brasil”.

Longo prazo carece de mudanças estruturais

De fato, as palavras de Lula no “Café com o Presidente” desta segunda-feira não representam grandes novidades. Mas, se o assunto é o presidente, vale aproveitar e mencionar que, ao defender a necessidade de reformas estruturais importantes como tributária, política, trabalhista e previdenciária, Lula surpreendeu os analistas da Tendências Consultoria.

Apesar disso, para a Tendências, isso não significa, necessariamente, que de fato teremos avanços nesse campo. Em sentido oposto, o “cenário básico continua sendo de que não será neste governo que veremos o avanço dessa agenda, apesar de sua relevância para fins de crescimento econômico e manutenção da atual situação favorável em prazos mais longos”.

Mas, novidades devem ficar para a próxima

Quanto à reforma política, para a consultoria não parece haver consenso entre deputados e senadores para que alterações de grandes proporções sejam promovidas. Em relação à reforma tributária, o real empenho do Governo é, de certa forma, questionável.

Por fim, no que se refere às reformas previdenciária e trabalhista, um longo processo de discussão e formulação de propostas ainda precisa começar e, além disso, demandará mais do que três anos e meio para trazer alguma conclusão. Ou seja, nada de concreto deve acontecer enquanto Lula estiver lá.