Lula promete aumento significativo de verbas voltadas à educação

Plano do presidente estabelece um piso de R$ 850 para os professores de escolas públicas, com ampliação gradual até 2010

SÃO PAULO – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta terça-feira (24) em Brasília que vai aumentar consideravelmente os recursos destinados ao setor de educação no Brasil. No entanto, não foi mencionado o tamanho desse aumento.

O anúncio ocorreu durante o lançamento do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE). Entre as premissas do projeto, está o piso de R$ 850 para os professores de escolas públicas, com ampliação gradual até 2010.

O presidente afirmou, no entanto, que os problemas educacionais não serão solucionados apenas com recursos financeiros. “O plano garante um aumento significativo de verba na educação. Mas os problemas do nosso ensino público não se restringem à capacidade de investimento”, disse Lula.

O que é o PDE?

PUBLICIDADE

O PDE prevê ações para a educação básica, fundamental, técnica e de adultos no Brasil. No entanto, a prioridade do programa são as medidas para o ensino médio e infantil.

Um dos principais pontos é a criação do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), uma espécie de ranking do rendimento dos alunos, das taxas de repetência e da evasão escolar.

O plano também prevê a informatização de todas as escolas públicas até 2010 e energia elétrica para escolas que ainda não têm luz até o final do ano que vem. Além disso, está previsto o aumento do número de vagas em universidades públicas e a instalação de 150 escolas técnicas.

Governo vai entrar para a história

Lula também disse durante o anúncio do PDE que a implementação do programa fará com que o seu governo entre para a história. “Nós entraremos para a história. O PDE inaugura um novo século da educação do Brasil”, ressaltou o presidente.

Lula também afirmou que não tem medo de cometer erros em seu segundo mandato. “Não tenho medo de errar. Se nós implantarmos tudo que anunciamos, nós certamente passaremos para a história com uma geração de políticos que disse apenas que a juventude era o futuro da nação”, completou o presidente.