Eleição de 2018

Lula lidera disputa no primeiro turno, mas perderia no segundo, aponta Datafolha

Em um eventual segundo turno entre Lula e Marina, ela venceria o petista por 44% a 32%; ele também seria derrotado, por 35% a 40%, se o candidato fosse Serra

SÃO PAULO – Segundo pesquisa Datafolha divulgada neste sábado (16), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está na liderança das intenções de voto  para o primeiro turno da eleição presidencial de 2018. Porém, no segundo turno, ele poderia ser derrotado pela ex-senadora Marina Silva (Rede) ou pelo ministro das Relações Exteriores, José Serra (PSDB).

Em eventual segundo turno entre Lula e Marina, ela venceria o petista por 44% a 32%. Lula também seria derrotado, por 35% a 40%, se o candidato no segundo turno fosse Serra, considerando a margem de erro do levantamento, de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Na simulação entre Aécio Neves (PSDB-MG) e Lula, o tucano teria 38% das intenções de voto e Lula teria 36%, mesma situação que ocorreria com Geraldo Alckmin (PSDB-SP) e Lula. Entre Marina e Aécio, ela aparece com 46% das intenções de voto, enquanto o senador tem 28%. Já entre a ex-senadora e Alckmin, ela possui 47% das intenções de voto, enquanto o governador paulista tem 27%. Marina também ganharia de Serra por 46% a 30%.

PUBLICIDADE

No cenário de primeiro turno em que Aécio é testado como candidato do PSDB, Lula tem 22% das intenções de voto, Marina conta com 17% e o tucano possui 14%. No mesmo cenário vêm depois Jair Bolsonaro (PSC) com 7%, Ciro Gomes (PDT) com 5%, Michel Temer (PMDB) com 5%, Luciana Genro (PSOL) com 2% e Ronaldo Caiado (DEM) empatado com Eduardo Jorge (PV) com 1%.

Aécio Neves tem hoje metade das intenções de voto que possuía em dezembro de 2015, quando aparecia com 27%. Já Geraldo Alckmin, aparece hoje com 8% (tinha 14% em dezembro) e José Serra com 11% (15% em fevereiro).

O Datafolha destaca, porém, que o quadro eleitoral para 2018 permanece muito indefinido, uma vez que cerca de um quarto dos eleitores (independentemente do cenário) dizem que, no primeiro turno, votariam em branco ou nulo ou não quiseram opinar sobre suas preferências.