Revela Época

Lula e parentes viajaram 111 vezes a sítio “de amigo” em Atibaia

Seguranças do Planalto receberam quase mil diárias para ficar 283 dias em imóvel de "amigos", cujas reformas foram custeadas pela Odebrecht

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O portal da revista Época mostrou, na segunda-feira (1), documentos que revelam que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva contou com segurança pessoal oferecida pelo Palácio do Planalto por 111 vezes em Atibaia entre 2012 e 11 de janeiro deste ano. Ao todo, eles teriam recebido 968 diárias da presidência, custando R$ 189 mil. O sítio Santa Bárbara é o mesmo em que a empreiteira Odebrecht gastou R$ 700 mil em reformas e cuja posse o político nega.

No papel, o imóvel está em nome de um amigo e do sócio de um de seus filhos. A revista, no entanto, confronta a versão com a constatação de que, a cada cinco dias, um segurança de Lula era deslocado para a propriedade. “Quem visita sítio de amigos com tamanha frequência?”, questiona a reportagem. Segundo o jornalista Filipe Coutinho, os documentos obtidos apontam para o fato de que, em muitos casos, os seguranças tiveram que alternar turnos em Atibaia para garantir que sempre estivesse alguém na cidade em um determinado período.

Vale ressalvar, entretanto, que Lula tem por direito, como ex-presidente, contar com segurança e assessores. Apesar disso, a lei não estende o benefício a familiares, o que pode ter ocorrido quando se observa cruzamento de dados feito pela revista. De acordo com a reportagem, a verificação das viagens dos seguranças ao sítio e das entradas e saídas de Lula do país — a partir de informações produzidas pela Polícia Federal — mostra que, em seis datas, os seguranças do ex-presidente estavam no local enquanto ele retornava ou deixava o país.

Aprenda a investir na bolsa