Sem papas na língua

Lula diz que PT sempre apoiou o 2º turno e que Alckmin é “uma figura exótica”

Após dizer que não tem preferência por adversário, o líder petista afirmou que Dilma está preparada para derrotar tanto Aécio quanto Marina.

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Participando de caminhada ao lado do candidato ao governo de São Paulo pelo PT, Alexandre Padilha, e do senador, Eduardo Suplicy, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sinalizou que o PT não trabalha com a possibilidade de vencer a corrida presidencial no primeiro turno.

“Dilma (Rousseff) tem todas as condições de ganhar a eleição. Eleição e mineração, a gente só conhece o resultado depois de fazer tudo o que tem que ser feito”, explicou o petista.

“O PT sempre apoiou o segundo turno, se vai ter ou não vai depender do povo amanhã. Se ele quiser dar a vitória para a Dilma no primeiro turno, ótimo. Se ele quiser ouvir mais debate, conhecer melhor os programas, tudo bem”, continuou,.

Aprenda a investir na bolsa

Além disso, o líder do PT explicou que “o lugar do PT é na rua, não é no gabinete”. Otimista, Lula acha que o resultado da eleição será dignificante para a consolidação da democracia. Ele pontuou que a disputa presidencial foi civilizada e que os ataques pessoais foram menores que em outras ocasiões.

O ex-presidente disse que não tem preferência de adversário para Dilma em um eventual segundo turno. “A gente não escolhe adversário, é o povo que decide quem deve disputar as eleições. Nós trabalhamos para ganhar”, disse Lula, completando que os debates ficam mais claros e mais ideológicos no segundo turno. “A Dilma está preparada para enfrentar quem quer que seja (Aécio Neves, do PSDB, ou Marina Silva, PSB)”.

Otimista, Lula descartou que a ausência de um programa de governo da candidata do PT possa prejudicá-la e defendeu que Dilma tem um legado extraordinário para mostrar. Ele também reclamou da quantidade de reportagens negativas feitas sobre a gestão de Dilma neste ano. “A impressão é que a ausência de democracia na imprensa é total”, alfinetou. “A agressividade da imprensa com a Dilma foi muito maior do que foi comigo”.

Pouca ajuda para Padilha

Para Lula, o PT foi indiretamente responsável por Padilha não ter decolado nas pesquisas de intenção de voto. Ele cobrou que o partido faça uma oposição mais atuante em São Paulo contra Geraldo Alckmin, do PSDB, candidato à reeleição.

“Padilha, que é marinheiro de primeira viagem, sabe que o partido tem que trabalhar muito mais. Precisamos ocupar novamente as ruas do país como sempre fizemos, conversar com o povo e politizar com a sociedade”, pontuou.

PUBLICIDADE

O líder do PT disparou críticas contra o governador de São Paulo. “Do ponto de vista político, Alckmin é uma figura exótica. Nada é da responsabilidade dele. Tudo que acontece de bom, ele dá um pitaquinho. Tudo que é ruim, ele joga culpa nos outros”, concluiu.