Lula diz que Mercosul está pronto para assinar acordo com União Europeia

O anúncio ocorreu no sábado, 15, durante coletiva do brasileiro à imprensa após ter participado de reuniões do G7, na Itália

Estadão Conteúdo

Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, durante encontro com a com a Presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, Hotel Borgo Egnazia. Puglia- Itália.

(Foto: Ricardo Stuckert / PR)
Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, durante encontro com a com a Presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, Hotel Borgo Egnazia. Puglia- Itália.

(Foto: Ricardo Stuckert / PR)

Publicidade

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que o Mercosul está pronto para assinar o acordo com a União Europeia. De acordo com ele, contudo, será preciso agora aguardar as eleições nos países do continente europeu para avançar as tratativas.

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de crescimento para os próximos meses e anos

O anúncio ocorreu no sábado, 15, durante coletiva do brasileiro à imprensa após ter participado de reuniões do G7, na Itália. Lula se reuniu com a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, e sinalizou que o Brasil está pronto para assinar o tratado.

Continua depois da publicidade

“Eu disse a ela Von Der Leyen que depois de todas as tratativas que o Brasil fez para mudar o acordo, colocando as coisas que nós achamos que eram necessários colocar e tirando as coisas que achávamos que eram necessários tirar, o Brasil está pronto para, na hora que a União Europeia quiser, assinar o acordo”, declarou Lula. “Agora, o problema é deles União Europeia.”

Lula comentou que o presidente da França, Emmanuel Macron, se mostrou mais flexível em relação às tratativas do acordo. O francês, contudo, pediu para que o brasileiro esperasse as novas eleições no país, que foram convocadas no último domingo, 9.

“Volto com otimismo que nós do Mercosul estamos prontos para assinar esse acordo”, destacou. Em sua avaliação, o tratado será benéfico para América do Sul, Mercosul e governos e empresários da União Europeia.

Continua depois da publicidade

Eleições na Europa

Durante a viagem para participar do G7, Lula teve reuniões bilaterais com Macron e com o chanceler da Alemanha, Olaf Scholz. Segundo o petista, nas agendas, ele pediu uma explicação a ambos sobre o resultado das eleições no parlamento europeu. Após as conversas, Lula disse estar “levando os ensinamentos para casa”.

Ainda, com Macron, o brasileiro disse ter estabelecido “uma parceria muito forte”, sem dar detalhes. “Acho que Brasil e França vão mudar de patamar de negociação nos próximos anos”, disse.