Reclamações

Lula diz que Lava Jato quer torná-lo inelegível e cobra: “alguém vai ter que me pedir desculpas”

"Estou esperando que provem a minha culpa. Alguém vai ter que me pedir desculpas em algum momento", afirmou em entrevista no rádio

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva segue em sua rodada de entrevista por rádios do País e desta vez foi na Rádio Difusora do Acre, onde ele voltou a criticar a Operação Lava Jato, falou em perseguição e cobrou um pedido de desculpas no futuro.

Enquanto aguarda uma decisão do juiz Sergio Moro na ação em que é réu na Justiça Federal do Paraná – o que pode acontecer a qualquer momento -, Lula afirmou que o processo é uma forma de torná-lo inelegível para as eleições de 2018. “Já está visível que o processo contra mim é uma tentativa de me deixar inelegível para 2018”, disse na entrevista.

Segundo o ex-presidente, as acusações contra ele são frágeis e, até o momento, não foi apresentada nenhuma prova concreta. “Estou esperando que provem a minha culpa”, afirmou. “Alguém vai ter que me pedir desculpas em algum momento”.

Aprenda a investir na bolsa

Apesar das reclamações, o petista disse que apoia a Lava Jato, mas falou da necessidade de a operação “respeitar o Estado do direito”, citando como exemplo o grande número de pessoas que teriam sido mantidas presas até aceitarem delatar.

Por fim, Lula foi questionado sobre a denúncia contra o presidente Michel Temer e evitou um tom acusatório. “Se o procurador-geral da República tem uma denúncia contra um presidente, primeiro precisa provar, tem de ter provas materiais, não basta dizer que ele cometeu um erro. Não sei se o procurador tem ou não razão, há uma divergência entre ele e o presidente sobre as provas, mas é preciso ter provas materiais”, afirmou.