Lula defende uso livre da internet em campanhas eleitorais

Para o presidente, é preciso que eleitores tenham liberdade para conhecer candidatos. Medida já foi aprovada na Câmara

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu, na última segunda-feira (14), o uso livre da internet em campanhas eleitorais. Para ele, é difícil controlar a rede, e os eleitores precisam ter liberdade para conhecer melhor os candidatos.

“A eleição não pode ser uma coisa que causa tanto medo às pessoas que queiram proibir. Brigamos a vida inteira por liberdade política, de expressão, de comunicação e começam a trancar isso. Acho que tem que ser livre mesmo, porque é importante as pessoas saberem quem é o candidato”, disse.

Proposta

Segundo a Agência Brasil, o texto da reforma eleitoral, que já foi aprovado pela Câmara e está no Senado, determina restrições aos sites noticiosos da internet durante o período eleitoral. Os sites vinculados às empresas de comunicação e aos provedores ficam proibidos de veicular imagens de consultas populares de natureza eleitoral a partir do dia 05 de julho do ano da disputa.

Aprenda a investir na bolsa

Além disso, a proposta prevê que os candidatos tenham liberdade total na internet ao utilizar blogs, mensagens instantâneas e sites de redes sociais. Também ficam permitidas as propagandas pagas nos portais jornalísticos, mas somente para os candidatos à Presidência da República.

O Senado deverá votar os destaques apresentados pelos senadores à reforma eleitoral ainda nesta semana. Entre eles, está a emenda de Aloísio Mercadante (PT-SP), que retira do texto qualquer restrição ao conteúdo jornalístico veiculado na internet durante a campanha.