Lula defende reajuste de 8% do Bolsa-Família e nega caráter eleitoreiro

Presidente afirma que orçamento da União possui capacidade para aumento de benefícios, que valem a partir de terça-feira

SÃO PAULO – Em seu programa semanal “Café com o Presidente”, Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que irá continuar reajustando o valor dos benefícios pagos pelo Bolsa Família de acordo com a inflação e negou o caráter eleitoreiro do programa.

A partir da próxima terça-feira (1) as famílias atendidas pelo programa (11 milhões) já poderão sacar os valores ajustados do benefício. O valor básico do Bolsa Família em agosto de 2007, que era de R$ 58, passou para R$ 62, e agora o benefício variável é de R$ 20 contra os R$ 18 repassados até então.

Lula reforçou que o reajuste de 8% se deve ao aumento dos preços dos alimentos ocorridos nos últimos meses e que o cálculo é de responsabilidade do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome junto com o Ministério da Fazenda.

Futuros reajustes

PUBLICIDADE

Ainda segundo o presidente, o reajuste é possível porque no Orçamento da União existe dinheiro suficiente para o aumento desse benefício, e sempre quando houver possibilidade os reajustes deverão ocorrer.