Em evento

Lula cobra Dilma e o PT e afirma: “eu não vim ao mundo para fracassar”

Ex-presidente participou de um encontro público do PT e afirmou que o partido tem que errar menos, cobra que Dilma dê resposta aos seus eleitores e critica Operação Lava Jato

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O ex-presidente Lula participou de um encontro público do PT paulistano na última sexta-feira (24) e cobrou que a presidente Dilma Rousseff crie fatos positivos em seu governo de forma a criar uma saída para a crise política que acontece desde 1 de janeiro. 

“Nós temos que dizer em alto e bom som dentro do PT, para a companheira Dilma ouvir e para os nossos deputados e militantes ouvirem, que nós precisamos começar a dizer o que nós vamos fazer neste segundo mandato, qual a política de desenvolvimento que nós vamos colocar em prática, qual o tipo de indústria que nós vamos incentivas”, disse o ex-presidente na abertura do 3º Congresso das Direções Zonais do PT São Paulo.

Para ele, o “momento difícil” pelo qual o PT passa deve ser enfrentado com a defesa dos interesses da classe trabalhadora e cobrou uma resposta de Dilma aos eleitores que a elegeram. Dilma e o PT devem ser “unha e carne”, afirmou, já que um não sobrevive sem o outro.

PUBLICIDADE

“Nem o PT sobrevive sem a Dilma, nem a Dilma sobrevive sem o PT. Se a Dilma fracassar, é o PT que fracassa. Se o PT fracassar, a gente vai contribuir para o fracasso da Dilma. E eu não vim ao mundo para fracassar. O PT não nasceu para fracassar. A gente não elegeu uma revolucionária presidente da República deste País para o fracasso”.

O PT, segundo ele, precisa “ter mais cuidado” e “errar menos”. “O PT tem que errar menos. O PT não pode fazer aquilo que criticava nos outros. Tem que ser exemplo […] O que é grave é que, neste momento, o dinheiro do PT é amaldiçoado, o dos outros é santificado. Parace que a campanha dos outros foi arrecadada por dízimo, vendendo churrasco nas quermesses de Santo Antônio.” Lula afirmou que é um dos pais do PT e um dos filhos do partido e que não pretende deixar ele acabar. “Nós vamos ressurgir ainda mais fortes”.

Lava Jato
Sobre a Operação Lava Jato, Lula fez sua primeira crítica direta, desta vez ao comentar a prisão da cunhada do ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto. “O que não pode, é prender a cunhada do Vaccari, achando que ela cometeu um crime, e no dia seguinte só soltar, sabe? Nem pediram desculpas”, disse ele.

O Ministério Público diz que a cunhada de Vaccari, Marice Corrêa Lima fez depósitos não identificados na conta da irmã, esposa do ex-tesoureiro. Porém, a defesa de Marice argumentou que os depósitos, registrados em um vídeo, foram feitos pela própria irmã.