Contra-ataque

Lula ataca “críticos” FT e The Economist: “quanto mais distante, mais erram”, afirma

Ex-presidente do Brasil teceu críticas aos jornais de grande circulação do Reino Unido, afirmando não entender como classificam de frágil uma economia com reservas de US$ 338 bilhões e com pleno emprego

247 – Em homenagem da Associação de Diários do Interior (ADI), o ex-presidente Lula criticou os jornais de grande circulação e a “mídia econômica do Reino Unido”, em referência ao jornal “Financial Times” e a revista “The Economist”. Publicações tem atacado a gestão da presidente Dilma Rousseff.

“Quanto mais distante, mais erram. Não posso entender como classificam de frágil uma economia com reservas de US$ 338 bilhões e com pleno emprego, no momento em que o mundo destruiu, desde 2008, 62 milhões de empregos. E ficam repetindo aqui como papagaios. Gostaria que fossem estudar economia antes de repetirem previsões que não se concretizam”, afirmou.

Ele também destacou o papel da mídia regional: “Nunca antes o governo investiu tanto em desenvolvimento regional quanto nos últimos 11 anos e é a imprensa local que traduz essas realidade. Quando anunciamos um plano recorde de safra, é a mídia local que detalha as condições de financiamento e como ele pode ser obtido. Nos grandes jornais, o que sai é que a inflação vai aumentar porque o governo está expandindo o crédito”, disse.

PUBLICIDADE

Essa matéria foi publicada originalmente no Brasil 247. Para conferi-la, clique aqui