mea culpa

Lula assume que crise começou no governo Dilma e que petista errou nas desonerações

"Acho que nós erramos na dosagem. Se tem uma torneira aberta e está entrando menos água que saindo, uma hora a caixa seca"

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Em seu último dia da caravana pelo Nordeste, Luiz Inácio Lula da Silva assumiu que a crise econômica começou no governo Dilma e que a ex-presidente errou na condução nas desonerações, política que foi alvo de críticas por muitos economistas na época por conta da perspectiva de aumento do déficit público, o que poderia culminar em uma crise fiscal.

“Acho que nós erramos na dosagem. Se tem uma torneira aberta e está entrando menos água que saindo, uma hora a caixa seca”, avaliou Lula, que lembrou que foram R$ 428 bilhões em desonerações para manter as políticas sociais. Segundo ele, Dilma tentou rever as medidas, mas não conseguiu por falta de apoio político no Congresso. Na visão de Lula, a situação econômica brasileira piorou porque o ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha, se recusou a votar os projetos para fazer o ajuste fiscal.

Apesar da mea culpa, o ex-presidente não deixou de criticar a política econômica de Michel Temer e os cortes do orçamento em áreas sociais, defendendo que o governo deve oferecer crédito e financiamento à população: “se não tiver crédito, se não tiver financiamento, quem é que vai gerar emprego?”.

PUBLICIDADE