Em meio à crise

Lula assume papel de articulador e revela quais são suas maiores insatisfações com Dilma

Além de criticar a condução da economia e da política, Lula está bem incomodado com a destruição do legado na política externa

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Como foi bastante divulgado pela imprensa, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a sua sucessora, Dilma Rousseff, fizeram um encontro na última quinta-feira (12) em São Paulo. E, durante a reunião, Lula destacou às suas principais insatisfações com o governo de sua pupila.

Conforme destaca o jornal O Estado de S. Paulo de hoje, além de criticar a condução da economia e da política, Lula está bem incomodado com a destruição do legado na política externa, área em que ele tem especial orgulho. O ex-presidente vê que, nos seus dois mandatos, Brasil virou uma estrela disputada e agora vem perdendo um grande e precioso espaço no cenário internacional. 

Esta perda de prestígio ocorreu principalmente por conta dos resultados ruins da economia brasileira no primeiro mandato de Dilma e porque ela descuidou da articulação com os países ricos, não deu continuidade à aproximação dos emergentes, não tem paciência para reuniões multilaterais e desdenha a política de “soft power” de Lula. Além disso, o ex-presidente se queixa na falta de continuidade dos programas implementados pelo seu governo na África, onde o dinheiro “não estaria chegando”.

PUBLICIDADE

Lula criticou ainda a articulação de Dilma Rousseff e defendeu que a presidente levante a “bandeira branca” e acerte as suas diferenças o mais rápido possível com Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presidente da Câmara dos Deputados.

Conforme destaca a Folha de S. Paulo, o ex-presidente ressaltou que o governo não pode viver em “guerra” com o Congresso em um momento em que é preciso estabilizar a inflação e realizar o ajuste fiscal. Tanto ele quanto Dilma atribuem a queda na popularidade de Dilma ao quadro ruim na economia e à corrupção na Petrobras.

E, na tentativa de melhorar a relação do Planalto com o Congresso, Lula já assume o papel de articulador e busca o PMDB e o PSB. Na última quarta-feira (11), o ex-presidente esteve com o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, e com o ex-governador Sérgio Cabral. 

Lula também se reuniu recentemente com Paulo Câmara (PSB), que derrotou o PT em Pernambuco e se aproximou da oposição.