Lula apoia Morales, mas afirma que não interferirá na soberania do país

Reunião de países membros da Unasul busca medidas para conter crise política que se instaurou na Bolívia

SÃO PAULO – O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, compareceu na última segunda-feira (15) a reunião de emergência convocada pela presidente do Chile, Michelle Bachelet, para discutir as formas de conter a crise que se instaurou na Bolívia.

Lula, que viajou em companhia do chanceler Celso Amorim, do Ministro da Comunicação Franklin Martins e do assessor para assuntos internacionais Marco Aurélio Garcia foi o último a chegar ao Palácio La Moneda, na capital chilena de Santiago.

A reunião dos países da Unasul (União das Nações Sulamericanas) contou também com a presença dos presidentes Hugo Chávez (Venezuela), Rafael Correa (Equador), Cristina Kirchner (Argentina), Fernando Lugo (Paraguai) e Tabaré Vázquez (Uruguai).

Soberania boliviana

PUBLICIDADE

Durante o encontro, serão discutidas as propostas para conter a crise que abalou a Bolívia na última semana, que já deixou mais de trinta mortos. Uma das opções é o envio de uma missão de diálogo com a oposição de Morales, em uma tentativa de atenuar os conflitos.

O presidente Lula, que havia se oferecido para intermediar um possível acordo, se esquivou da recusa do presidente boliviano e deixou claro que o Brasil não tomará nenhuma posição que afete a soberania do governo da Bolívia, assim como da oposição.