Lava Jato

Lobista diz que abriu conta na Suíça para pagar propina a Eduardo Cunha, diz Estado

João Henriques é o terceiro executivo a citar o presidente da Câmara como receptor de propina na Operação Lava Jato

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O empresário e lobista ligado ao PMDB, João Henriques, afirmou à Polícia Federal que abriu uma conta na Suíça para pagar propina ao presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Segundo informações do Estado de S. Paulo, a transferência está relacionada a um contrato da Petrobras (PETR3; PETR4) para a compra de um campo de exploração em Benin, na África. 

Antes de João Henriques, o executivo Júlio Camargo e outro lobista, Fernando Falcão Soares, conhecido como Fernando Baiano, já haviam citado Cunha como receptor de US$ 5 milhões em propinas na contratação de um navio sonda pela petroleira em 2006. Por esse motivo, o presidente da Câmara foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República por corrupção e lavagem de dinheiro. 

O lobista preso pela PF há uma semana disse que o repasse a Cunha foi um pedido de Felipe Diniz, filho do ex-deputado Fernando Diniz (PMDB-MG), morto em 2009. Henriques afirmou que sequer sabia à época que era o presidente da Câmara o destinatário da suposta propina.  

Aprenda a investir na bolsa

Procurado pelo jornal, Cunha negou ter recebido o dinheiro e disse não ser “comentarista de delação”.