STF determinante

Liminar pode adiar, mas não impedir o impeachment, diz Arko

Caso Eduardo Cunha arquive o pedido de impeachment e a oposição apresente recurso, decisão deverá ficar para o STF

(SÃO PAULO) – Liminar do STF significa que Cunha errou ao não aceitar recurso do PT contra o rito do impeachment, mas não tira totalmente o poder do presidente da Câmara no processo, diz Lucas de Aragão, sócio da Arko Advice, em entrevista por telefone de Brasília.

  • Caso Cunha arquive o pedido de impeachment e a oposição apresente recurso, decisão deverá ficar para o STF
  • “O Cunha foi derrotado e a Dilma teve uma vitória, mas parcial, pois não foi uma vitória no mérito. O grande vencedor é o próprio STF, que passa a ser determinante no processo”, disse Aragão
  • NOTA: Teori Zavascki, do STF, concedeu hoje liminar contra processo de impeachment, segundo website do Supremo

 

Josué Leonel

PUBLICIDADE

Esta matéria foi publicada em tempo real para assinantes do serviço Bloomberg Professional.

Quanto custariam suas ações em dólar? Deixa seu email e descubra: