Líder do PMDB pode assumir relatoria do processo contra Renan Calheiros

Valdir Raupp é suplente no Conselho de Ética, que decidiu ampliar as investigações contra Calheiros

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O corregedor do Senado, Romeu Tuma (DEM), afirmou nesta quinta-feira que a Polícia Federal não tem autonomia para investigar o presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB). Segundo ele, as investigações só poderão ser aprofundadas por determinação do Supremo Tribunal Federal.

“A Polícia Federal só pode investigar se for aberto inquérito”, afirmou o senador. Tuma disse que, no momento, os trabalhos no colegiado estão confusos, e defendeu direcionamento para indicar o caminho. A perícia da PF trouxe conclusões que complicam a defesa do senador.

O líder do PMDB, senador Valdir Raupp, admitiu que pode assumir a relatoria do processo contra Renan Calheiros no Conselho de Ética. “Só em última instância. Se não conseguir outro relator, mas espero que tenha”, disse.

Conselho amplia investigações

PUBLICIDADE

Raupp lembrou ainda que o posto pode voltar a ser assumido por Epitácio Cafeteira (PTB) que apresentou licença médica por dez dias na última segunda-feira. O líder é suplente no Conselho de Ética. Ele informou que, para assumir a relatoria, um dos titulares teria que abrir mão da vaga no colegiado.

O conselho decidiu ampliar as investigações e cobra, agora, investigações sobre a movimentação financeira de Renan. O senador é acusado de usar notas frias ao justificar sua renda com a venda de gado em Alagoas. Seu patrimônio também vem sendo questionado diante da disparidade entre o que alega ter lucrado e o que efetivamente possui.