Segundo Folha

Levy recua e diz que não está disposto a poupar nenhum setor em projeto da desoneração

Apesar do descontentamento do ministro, o relator do projeto já distribuiu seu texto a líderes dos partidos na Câmara nesta quarta, prevendo uma taxação mais branda a quatro grupos

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, parece não ter gostado do novo texto do relator do projeto de lei das desoneração, o deputado Leornardo Picciani (PMDB-RJ), de querer poupar alguns setores, prevendo um aumento de taxação mais brando. 

Segundo coluna Painel, da Folha de S. Paulo, após uma série de reuniões com deputados da base aliada, Levy avisou que o governo não está disposto a poupar nenhum setor, embora um acordo houvesse sido fechado pelo vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB). 

Em meio ao descontentamento de Levy, o articulador político do governo, Michel Temer, chamou o ministro para uma conversa em seu gabinete na tarde desta quarta-feira (17), juntamente com líderes da bancada da Câmara. Mas parece que a crise não foi desfeita.

Aprenda a investir na bolsa

Apesar disso, o relator do projeto que reduz a desoneração das folhas já distribuiu seu texto a líderes dos partidos na Câmara nesta quarta, prevendo uma taxação mais branda, de 50%, para setores de call center, comunicação, transporte e cesta básica.