Economia

Levy na Fazenda afasta risco de rebaixamento de rating, diz BNP

Segundo banco, a indicação de Levy foi uma surpresa e uma "excelente escolha", podendo ser a mudança no jogo para o Brasil

SÃO PAULO – A nomeação de Joaquim Levy para o ministério da Fazenda pode eliminar o risco de rebaixamento do rating do Brasil, disse Marcelo Carvalho, economista-chefe para América Latina do BNP Paribas, em relatório nesta segunda-feira (01), enfatizando o “nítido contraste” com o 1° mandato do governo de Dilma Rousseff. 

Segundo Carvalho, a indicação de Levy foi uma surpresa e uma “excelente escolha”, podendo ser a mudança no jogo para o Brasil. “A primeira fala de Levy seguiu a cartilha, citando a necessidade de promover eficiência, produtividade, poupança interna e transparência, o que foi música para os ouvidos do mercado”, disse. 

Com o País enfrentando enormes desafios econômicos, a nomeação de Levy pode ser uma mudança de jogo para o País – se isso se converter, de fato, para uma política mais sensível. De acordo com ele, o novo ministro deverá promover uma combinação de cortes de gastos e aumento de impostos, como a Cide de combustível e a CPMF, apontando que a repressão dos preços administráveis é insustentável e tem efeitos colaterais horríveis. 

PUBLICIDADE

Hoje, a Fitch Ratings disse que o time econômico sinalizou a intenção de reconquistar a credibilidade e seguir um caminho de ajuste fiscal gradual com a intenção de estabilizar o forte peso da dívida do governo. Entretanto, a agência de classificação de risco comentou que os ajustes fiscais parecem de tamanho moderado e ainda é preciso ver se serão suficientes para reconquistar a confiança de investidores necessárias para retomar o crescimento.