Mal interpretado

Levy diz que criaram “banzé” e afirma: “Dilma tem genuíno interesse em endireitar” Brasil

Levy ainda afirmou, em evento realizado pelo Lide, que há "confiança mútua é muito sólida" entre ele e a presidente

SÃO PAULO – Durante almoço-debate realizado nesta segunda-feira (30) e realizado pelo LIDE (Lideranças Empresariais), o ministro da Fazenda Joaquim Levy explicou por diversas vezes a declaração que fez em palestra a alunos da Universidade de Chicago, publicada pela Folha de S. Paulo no último sábado. 

“Acho que há um desejo genuíno da presidente de acertar as coisas, às vezes, não da maneira mais fácil, mas… Não da maneira mais efetiva, mas há um desejo genuíno”, disse o ministro, segundo tradução da declaração feita em inglês.

Para o ministro, contudo, a fala foi tirada do contexto, dando foco apenas no segundo período da sua frase para “criar um banzé”, ao dar destaque a “uma parte irrelevante da sentença”. 

PUBLICIDADE

Voltando a falar sobre o assunto, Levy afirmou  que a presidente Dilma Rousseff “tem genuíno interesse em endireitar” o Brasil e reforçou que a sua mensagem a estudantes foi mal interpretada. 

“Na vida real, na política e também na empresa, se trabalha sob pressão e nem tudo acontece como a gente desejaria… As coisas são difíceis”, acrescentou.

Ele ainda destacou que há “confiança mútua é muito sólida” entre ele e a presidente. “Vamos continuar trabalhando para concluir os ajustes (na economia)”, afirmou após palestra a empresários na capital paulista.

Ainda conforme o ministro, dentro do governo há extrema confiança na aprovação das medidas de ajuste fiscal, o que ele considera fundamental para aumentar a confiança e ajudar a retomar o crescimento econômico do Brasil.

(Com Reuters)