Imprensa internacional

Leão da esquerda X provocador da direita é o confronto que se desenha no Brasil em 2018, diz NYT

Jornal americano afirma que Lula e Bolsonaro estão fazendo uma campanha com foco na raiva e indignação, estabelecendo um tom para a corrida presidencial em consonância com o humor nacional

SÃO PAULO – Em matéria sobre o Brasil, o jornal americano The New York Times aponta como está se desenhando o cenário eleitoral deste ano no Brasil. Para a publicação, a disputa que se segue é entre os dois primeiros colocadas nas pesquisas eleitorais atualmente: Lula, classificado como o “leão de esquerda” pelo jornal, e Jair Bolsonaro, classificado como “provocador da extrema-direita”. 

Quer investir melhor o seu dinheiro? Clique aqui e abra a sua conta na XP Investimentos

“A disputa para substituir o presidente Michel Temer em outubro está se transformando em um assunto turbulento e amargo, com os eleitores brasileiros confrontados com escolhas claramente diferentes”, apontam os correspondentes do NYT. 

PUBLICIDADE

Eles ressaltam que os dois principais candidatos estão em lados opostos do espectro político, trazendo ambos uma polêmica bagagem política para a corrida. Ela é atualmente liderada por Lula que, após dois mandatos como presidente entre 2003-2010, está tentando retornar para um terceiro mandato, o que representaria um retorno dramático para o PT após o impeachment de Dilma Rousseff em 2016. 

Contudo, Lula enfrenta um problema, que é a possibilidade de se tornar inelegível caso a sua condenação na Operação Lava Jato seja mantida em instâncias superiores (e o dia 24 de janeiro será crucial nesse processo – veja mais clicando aqui). O NYT ressalta que, se Lula não conseguir se candidatar, não está claro quem o substituiria, uma vez que o PT não tem outro nome tão conhecido e emblemático como Lula.

Já Jair Bolsonaro, em segundo lugar nas pesquisas, é classificado como um deputado de extrema direita com “uma longa história de críticas incendiárias e grosseiras e de menosprezo a mulheres, negros e gays”, diz o jornal. O NYT afirma que a ascensão do deputado tem atordoado brasileiros, alguns considerando essa ascensão a um sintoma de quão aflita está a quarta maior democracia do mundo. 

“Uma base de fervorosos apoiadores, no entanto, vê o impetuoso ex-oficial militar, como uma solução radical”, ressalta o NYT, destacando que a nação está incomodada pelo aumento da violência, epidemia de corrupção e uma recuperação desigual de uma recessão econômica prolongada. Enquanto isso, os centristas lutam para sustentar um candidato moderado e viável. 

O NYT aponta: “Lula e Bolsonaro ainda não ofereceram soluções detalhadas para os maiores problemas que o próximo presidente enfrentará, incluindo uma previdência inchada e violência endêmica em várias partes do Brasil, em que o Exército está cada vez mais sendo chamado para atuar”. 

Ambos estão fazendo uma campanha com foco na raiva e indignação, estabelecendo um tom para a corrida presidencial. E isso está em grande parte em consonância com o humor nacional, aponta o jornal.