AO VIVO Por Dentro dos Resultados: CEO e CFO do Fleury falam sobre os números do grupo no trimestre; assista

Por Dentro dos Resultados: CEO e CFO do Fleury falam sobre os números do grupo no trimestre; assista

Perspectivas

Julgamento de Lula, janela partidária e mais 5 eventos que vão agitar a próxima semana

Com agenda de indicadores mais "tranquila", abril começa com importantes definições na política brasileira

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Após a renovação do otimismo do mercado nesta quinta-feira (29), a próxima semana começará com os investidores de olho no futuro do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que terá seu habeas corpus julgado na quarta-feira (4) e poderá ser preso dependendo do resultado. Ainda na política, o presidente Michel Temer também deve definir o que fará em relação à uma possível candidatura este ano.

O STF (Supremo Tribunal Federal) julga o pedido de habeas corpus de Lula, com expectativa de 30 mil manifestantes em Brasília. Na última segunda, o TRF-4 negou o recurso do ex-presidente, que só não foi preso porque há uma liminar do Supremo que evita que ele comece a cumprir sua pena até que o HC seja julgado. Se os ministros negarem o pedido da defesa, o petista poderá ser preso já na próxima semana.

Quer investir em ações pagando só R$ 0,80 de corretagem? Clique aqui e abra sua conta na Clear

PUBLICIDADE

Outro ponto importante no campo político é a definição das filiações e candidaturas. Os políticos têm até o dia 7 de abril para acertarem seus partidos – a chamada janela partidária -, o que deve levar a muitas mudanças nas siglas. Além disso, também deveremos ver as confirmações de saídas de cargos, em especial o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que precisa definir na próxima semana se deixará o cargo para disputar a eleição.

Além disso, o próprio Temer também terá de tomar uma decisão sobre seu futuro. Nesta quinta a Polícia Federal prendeu o advogado José Yunes, ex-assessor do presidente, além de outras pessoas ligadas ao caso dos portos. Estas prisões podem ser uma “pá de cal” na ambição de Temer de
sair candidato, o que eventualmente poderia favorecer a concentração de apoio da base governista no governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, reduzindo a divisão do centro. Isso também pode confirmar Meirelles como candidato pelo MDB, já que ainda existe uma possibilidade de ele ser vice de Temer na disputa eleitoral.

Indicadores econômicos

A próxima semana terá agenda variada de indicadores de atividade tanto no Brasil quanto nos Estados Unidos, incluindo dados que podem afetar a expectativa para as taxas de juros. Na agenda doméstica, atenção para os dados de produção industrial na terça-feira (3) às 9h (horário de Brasília) e dados secundários de inflação, como o IPC-S e IPC-Fipe.

No exterior a semana será mais agitada, com principal destaque ficando para o relatório de emprego dos EUA, referentes ao mês de março, que será divulgado na sexta-feira (6), às 9h30. A GO Associados destaca que a economia americana segue em ritmo de alta, gerando um bom número de vagas, fato que levou a taxa de desemprego a apenas 4,1%. Por outro lado, os salários ainda seguem crescendo a uma taxa próxima de 2,5%, sem grandes pressões.

Com isso, o dado de março será importante para o mercado calibrar a intensidade do crescimento americano no primeiro trimestre e a trajetória futura da inflação, ajustando suas apostas quanto ao ritmo de aumento dos juros ao longo do ano, ressaltam os analistas.

Ainda no exterior atenção, principalmente para os dados dos PMIs da indústria e serviços tanto dos EUA, quanto da Zona do Euro e, em especial, da China, que muitas vezes acaba impactando as commodities e se refletindo em algumas empresas da B3.

Para conferir a agenda completa de indicadores, clique aqui.