AO VIVO VP da Raia Drogasil conversa ao vivo com gestor; veja stock picking acontecendo na prática

VP da Raia Drogasil conversa ao vivo com gestor; veja stock picking acontecendo na prática

Operação polêmica

Juíza que autorizou busca na casa de filho de Lula diz ter sido enganada

A operação na casa do filho de Lula foi muito criticada, principalmente por aliados do ex-presidente, que acusaram a Polícia de perseguição e abuso

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO –  A juíza Marta Pistelli, que autorizou a operação da Polícia Civil contra  Marcos Lula da Silva, filho do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, se disse “enganada” pelo delegado de Paulínia (SP), Rodrigo Luís Galaz­zo, e equipe. As informação são da revista Veja.

Baseado em uma “denúncia anônima”, o delegado e três investigadores armados tiveram autorização para cumprir um mandado de busca e apreensão na casa de Marcos Lula, em busca de “drogas e armamento pesado”. A  informação chegara por meio do Disque-Denúncia e a veracidade não foi checada de outra forma, destaca a revista.

Mesmo sem nada encontrar, o delegado e sua equipe levaram dois computadores, CDs, DVDs e pen drives que encontraram na casa — e ainda foram para um segundo endereço, onde também não acharam nada. No dia seguinte à operação, a juíza Marta Pistelli determinou que todos os objetos fossem devolvidos. A magistrada afirmou ainda que o pedido de busca não identificava o morador da residência e que autorizara que a polícia visitasse apenas um local, e não dois.

PUBLICIDADE

A operação na casa do filho de Lula foi muito criticada, principalmente por aliados do ex-presidente, que acusaram a Polícia de perseguição e abuso. O delegado Rodrigo Galazzo foi afastado pela Secretaria de Segurança Pública do estado e, por ordem do secretário Mágino Alves Barbosa, foi aberto procedimento administrativo ‘para apurar em que condições ocorreu a diligência de buscas’.