Lava Jato

José Dirceu pede habeas corpus para não ser preso na Lava Jato

O requerimento foi apresentado nesta quinta-feira ao Tribunal Regional da 4ª Região e foi realizado pelos advogados do ex-ministro, liderados pelo advogado Roberto Podval

SÃO PAULO – Após a delação premiada do empresário Milton Pascowitch no âmbito da Operação Lava Jato, os advogados de José Dirceu entraram com um pedido de habeas corpus preventivo a favor do ex-ministro da Casa Civil.

O requerimento foi apresentado nesta quinta-feira (2) ao Tribunal Regional da 4ª Região.

Os representantes de José Dirceu, liderados pelo advogado Roberto Podval, alegam que o petista está iminência de sofrer “constrangimento ilegal” e pedem que o tribunal conceda “ordem de habeas corpus, evitando-se o constrangimento ilegal e reconhecendo o direito do paciente de permanecer em liberdade”. 

PUBLICIDADE

A petição possui 40 páginas afirma que Dirceu atendeu a mais de 60 clientes de 20 setores diferentes da economia, como indústrias de bens de consumo, telecomunicações, comércio exterior, logística, tecnologia de informação, comunicações e construção civil. 

Advogado de Dirceu, Podval disse ao portal R7 que a defesa considera que qualquer prisão que venha a ocorrer é desnecessária. “A gente acredita que possa acontecer [a prisão]. Por conta dessa crença, e por entender que se acontecer, isso é absolutamente desnecessário e, portanto, ilegal, é que a gente está tomando essa iniciativa”. 

Pascowitch disse que pagou propina de R$ 1,5 milhão a Dirceu para que a empresa mantivesse negócios com a Petrobras; o petista nega. O empresário é acusado de intermediar contratos entre a construtora Engevix e a companhia estatal.