Fora das eleições

Joaquim Barbosa “segue seu coração” e justifica desistência da corrida presidencial

"Acabo de comunicar ao presidente [do PSB] Carlos Siqueira minha decisão de não entrar na briga eleitoral. Sigo o que está indicando o meu coração", afirma ex-ministro do STF

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Logo após oficializar sua desistência da corrida presidencial, o ex-ministro da STF (Supremo Tribunal Federal), Joaquim Barbosa, enviou uma mensagem aos seus amigos mais próximos explicando que sua decisão de não concorrer à Presidência foi “seguindo seu coração”.

“Acabo de comunicar ao presidente [do PSB] Carlos Siqueira minha decisão de não entrar na briga eleitoral. Sigo o que está indicando o meu coração”, disse Barbosa na mensagem. Sobre a decisão, Siqueira afirmou que a desistência de Barbosa é “compreensível” e o ex-ministro alegou questões íntimas para não disputar.

A decisão pegou boa parte da cúpula do PSB de surpresa. “Foi uma surpresa. Existia um clima de construção interna onde as arestas estavam sendo aparadas. Acho que os brasileiros buscavam um candidato com o perfil do Joaquim Barbosa. Um vitorioso, um homem com história”, disse o vice-presidente do PSB, Beto Albuquerque, que disse que vai em busca de um novo nome de dentro do partido. 

PUBLICIDADE

O líder do partido na Câmara, deputado Júlio Delgado, afirmou em entrevista ao programa Timeline, da Rádio Gaúcha, que houve pressão por parte da família do ex-ministro: “a gente já vinha avisando há muito tempo que ele tinha restrição e resistência familiares para que ele pudesse participar do pleito”, afirmou o parlamentar do PSB.

O ex-presidente do STF anunciou nesta manhã que não pretende ser candidato à presidência da República nas eleições de outubro. O ex-magistrado publicou a informação em seu perfil oficial no Twitter :”está decidido. Após várias semanas de muita reflexão, finalmente cheguei a uma conclusão. Não pretendo ser candidato a Presidente da República. Decisão estritamente pessoal”, dizia o post. A decisão ocorre um mês após o ex-ministro do STF filiar-se ao PSB, no limite do prazo para poder disputar as eleições.

Quer saber mais sobre o cenário político e como se aproveitar dele? Clique aqui e assine o Mapa Político