Japão suspende a caça de 50 baleias jubartes na Antártida

Porém, o governo japonês manteve os planos de caçar cerca de 950 baleias das espécies minke e finn até o começo deste ano

SÃO PAULO – O Japão não irá mais caçar as baleias jubartes que vivem na região da Antártida. O país pretendia capturar ao menos 50 animais da espécie, que está ameaçada de extinção e protegida pelo Cites (Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas).

Porém, o governo japonês manteve os planos de caçar cerca de 950 baleias das espécies minke e finn até o começo deste ano, dando continuidade à maior empreitada desde 1987, quando foi proibida a caça comercial do animal.

Protestos de outros países

A decisão do Japão foi comemorada por entidades ambientais e elogiada por governos de países como a Austrália, que afirmou também que não há motivo para o país asiático manter as atividades baleeiras.

PUBLICIDADE

Para monitorar a caça de baleias na região e reunir provas para um possível processo na Corte Internacional, a Austrália anunciou que iria mobilizar um barco de patrulha pesqueira na Antártida.

Além disso, o país também ameaçou fazer um protesto diplomático, com a participação de mais 20 países contra a captura das jubartes.

O Japão afirma que a caça de baleias é feita com fins científicos.