Japão relembra 63 anos de sua rendição na Segunda Guerra Mundial

Em templo de Tóquio, imperador, políticos e milhares de japoneses homenagearam os mortos no conflito

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Diversas cerimônias realizadas no Japão nesta sexta-feira (15) relembraram os 63 anos da rendição do país na Segunda Guerra Mundial. No templo Yasukuni, em Tóquio, que homenageia os japoneses mortos em conflitos militares, milhares de pessoas se reuniram para homenagear as vítimas.

Entre o público, estavam três ministros do atual governo e os ex-primeiros-ministros Junichiro Koizumi e Shinzo Abe.

Homenagem de Fukuda

Já o atual primeiro-ministro, Yasuo Fukuda, não compareceu ao templo, mas ao cemitério próximo, onde estão os restos mortais de soldados que morreram em outros países durante o conflito. Durante discurso, Fukuda afirmou que, ao se render, o Japão renunciou para sempre das guerras.

Aprenda a investir na bolsa

A homenagem no templo Yasukuni também teve a presença do imperador Akihito e da imperatriz Michiko. Cerca de 3,1 milhões de japoneses morreram na Segunda Guerra Mundial, sendo 2,3 milhões de soldados e 800 mil civis, incluindo as vítimas das bombas atômicas de Nagasaki e Hiroshima.