Japão e Coréia do Norte cessam acordo para acabar com produção de armas

Governo japonês alertou que a Coréia continuará isolada enquanto não modificar suas atitudes

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Coréia do Norte suspendeu as negociações com o Japão, voltadas para estreitar laços entre os países, ameaçando os esforços para implementar acordo para acabar com a produção de armas nucleares.

O ministro de Relações Exteriores declarou que as reuniões, que estavam sendo realizadas em hanoi, foram encerradas, porque a Coréia do Norte rejeitou falar do seqüestro de cidadãos japoneses de três décadas atrás.

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, por sua vez, disse que a Coréia do Norte continuará mantendo-se isolada da comunidade internacional a menos que mude sua atitude. Em 2002, o governo norte-coreano admitiu que, nas décadas de 70 e 80, seqüestrou cidadãos japoneses para usá-los no treinamento de espiões.

O acordo

PUBLICIDADE

As negociações fazem parte de acordo assinado no mês passado em Beijing com o objetivo de desmantelar o programa de desenvolvimento de armas atômicas da Coréia do Norte.

Durante as reuniões, foi decidido que a Coréia do Norte iria desativar suas instalações nucleares em troca de ajuda humanitária e energética.

O assistente da secretaria do Estado dos Estados Unidos, Christopher Hil, lembrou ao vice-ministro de relações exteriores da Coréia do Norte, Kim Kye Gwan, que manter relações com o Japão é necessário, para normalizar laços com os norte-americanos.

Ajuda

O acordo prevê que, inicialmente, a Coréia do Norte terá 60 dias para desistir da produção de plutônio, em troca do fornecimento de 50 mil toneladas de combustível.