Japão decide manter missão no Iraque, mesmo com retirada britânica

Governo japonês anuncia que vai continuar a apoiar os Estados Unidos nos esforços de reconstrução do Iraque

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, declarou nesta quinta-feira (22) que o país tomará sua própria decisão sobre a continuação da ajuda militar no Iraque, cujo prazo deve terminar em julho deste ano, mesmo com o anúncio de retirada de parte das forças britânicas, feito no dia anterior.

“Nada foi decidido para o Japão, mas nós tomaremos nossa decisão com independência”, afirmou o premiê ao vice-presidente dos Estados Unidos, Dick Cheney.

Planos

Paralelamente, o ministro das Relações Exteriores, Taro Aso, afirmou ao Comitê Representativo de Segurança que o governo japonês deve manter seu apoio às tropas norte-americanas na reconstrução do Iraque, enfatizando a importância de continuar a assistência como forma de retomar a estabilidade política do país.

Apoio

Aprenda a investir na bolsa

Apesar das restrições previstas em sua Constituição Pacifista, o governo japonês vem apoiando a política intervencionista dos Estados Unidos no Iraque.

Para tanto, o Japão tem enviado forças aéres defensivas para dar suporte aos norte-americanos e outros aliados.

Abe terá de decidir em julho se vai prorrogar o período de permanência em território iraquiano, estabelecido por uma lei especial.