Fim do acordo

Janot pede prisão de Joesley Batista, Ricardo Saud e do ex-procurador Marcelo Miller

A decisão sobre o pedido será tomada pelo ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no STF

SÃO PAULO – O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu nesta sexta-feira (8) ao STF (Supremo Tribunal Federal) as prisões dos empresários da JBS, Joesley Batista e Ricardo Saud, e do ex-procurador da República Marcelo Miller. A PGR e o Supremo ainda não confirmaram a informação, dada pelo jornal O Estado de S. Paulo e pelo portal G1.

A decisão sobre o pedido será tomada pelo ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no STF.

Na última segunda-feira (4), Janot realizou uma coletiva de imprensa onde informou que novos áudios foram entregues pelos delatores da JBS e indicavam que o ex-procurador Marcello Miller atuou na “confecção de propostas de colaboração” do acordo que viria a ser fechado entre os colaboradores e o Ministério Público Federal.

PUBLICIDADE

Acreditando ser este um caso de omissão de informação, Janot avisou que os termos da delação premiada dos executivos poderiam ser cancelados, o que ocorre com este pedido de prisão. Na mesma coletiva, porém, o procurador informou que mesmo os delatores perdendo seus direitos acordados, as provas apresentadas continuam valendo.