AO VIVO Especialista recomenda ativo ao vivo em aula sobre Fundos Imobiliários

Especialista recomenda ativo ao vivo em aula sobre Fundos Imobiliários

Delação no STF

Janot envia ao Supremo delação premiada de Lúcio Funaro para homologação

A homologação da delação caberá ao relator da Lava Jato no STF, ministro Luiz Edson Fachin

SÃO PAULO – A PGR (Procuradoria Geral da República) enviou ao STF (Supremo Tribunal Federal) a delação premiada do doleiro Lúcio Funaro para homologação. Funaro assinou o acordo com a Procuradoria na semana passada e o caso foi remetido ao Supremo porque o doleiro citou pessoas que possuem foro privilegiado nos depoimentos. 

A homologação da delação caberá ao relator da Lava Jato no Supremo, ministro Luiz Edson Fachin. Antes da homologação, juízes auxiliares de Fachin vão ouvir se o delator para confirmar se Funaro fechou o acordo de livre e espontânea vontade ou se foi pressionado – o que é praxe.

Funaro agia como operador do PMDB. Há duas semanas, após acompanhar audiência na Justiça, onde responde a processo junto com o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ), Funaro foi indagado por jornalistas se tinha algo a falar sobre o presidente Michel Temer. Ele se limitou a dizer que ainda tem o que dizer. O conteúdo da delação está sob sigilo.

A expectativa, porém, é de que as revelações de Funaro serão utilizadas nas denúncias contra Temer que Rodrigo Janot deve oferecer antes de deixar a Procuradoria. Denunciado por corrupção passiva, o presidente é investigado ainda em inquéritos que apuram os crimes de obstrução de Justiça e organização criminosa. Nos dois casos, o corretor deve contribuir com informações.