Segundo Estadão

Já há previsão para formalizar a delação mais “explosiva” da Lava Jato

"A se confirmar a previsão, as revelações explodiriam no meio das eleições", destaca o Estadão

SÃO PAULO – A assinatura dos acordos de delação premiada da Odebrecht com a Operação Lava Jato, considera uma das mais “explosivas” e que deve citar centenas de políticos, deve ficar para o mês que vem, de acordo com o jornal O Estado de S. Paulo.

Conforme ressalta o jornal, quem acompanha a negociação para a delação prevê que haverá muitos embates com a força-tarefa de Curitiba sobre a permanência de Marcelo Odebrecht na cadeia após a colaboração. Por enquanto, os executivos estão prestando depoimentos informais aos investigadores e já citaram nomes como Dilma Rousseff, Marta Suplicy, José Serra e Michel Temer, entre outros, em suas delações.

“A se confirmar a previsão, as revelações explodiriam no meio das eleições”, destaca o jornal.