Itália pode ser a próxima a solicitar auxílio, diz ministra das Finanças austríaca

Maria Fekter aponta altos custos de empréstimos para o país como fator determinante; yields de títulos públicos europeus avançam

SÃO PAULO – A ministra das Finanças da Áustria, Maria Fekter, deu mais um sinal de que os temores acerca dos desdobramentos da crise que assombra a Zona do Euro persistem, ao afirmar que a Itália pode ser a próxima a necessitar de um resgate financeiro na região da Zona do Euro.

Em entrevista para um programa de televisão, a ministra das Finanças austríaca citou os altos custos de empréstimos para o país como um dos fatores determinantes, ampliando ainda mais o receio com a difícil situação econômica no Velho Continente.

Apesar de adotar um discurso mais conservador nesta terça-feira (12), ao afirmar que não tinha indicações de que a Itália planeja solicitar um pacote de auxílio financeiro, Fekter havia dito na véspera que os fundos de resgate europeus chegaram a seus limites com as ajudas a Grécia, Portugal, Irlanda e Espanha, podendo não ter recursos suficientes no caso italiano.

PUBLICIDADE

Rendimentos de títulos públicos avançam
Os rendimentos dos títulos públicos de longo prazo de Itália e Espanha, com vencimento em dez anos, chegaram a subir mais de 6% nesta sessão, mesmo após o pacote de auxílio ao sistema financeiro espanhol de € 100 bilhões . A notícia de que o país ibérico não atingirá sua meta de redução do déficit público em 2012 trouxe de volta a aversão ao risco na região.

As eleições a serem realizadas na Grécia, no próximo final de semana, também reforçam a apreensão do mercado frente ao continente europeu, uma vez que o pleito deve determinar a permanência ou não do país na Zona do Euro.