Polêmica na estatal

Istoé: ex-diretor da Petrobras cita mais 4 políticos envolvidos em esquema de corrupção

A Istoé incluiu na lista o governador do Ceará, Cid Gomes, os senadores Delcídio Amaral (PT-MS) e Francisco Dornelles (PP-RJ) e o líder do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha, do Rio

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Segundo informado pela revista Istoé neste sábado (13), o ex-diretor da Petrobras (PETR3;PETR4) Paulo Roberto Costa citou mais um governador, dois senadores e um deputado federal entre os políticos envolvidos num esquema de corrupção na estatal. 

A Istoé incluiu na lista o governador do Ceará, Cid Gomes, os senadores Delcídio Amaral (PT-MS) e Francisco Dornelles (PP-RJ) e o líder do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha, do Rio. 

Costa firmou um acordo de delação com o MPF (Ministério Público Federal) e tem revelado detalhes do suposto esquema de desvio de recursos públicos dentro da estatal. A Veja já havia citado 12 nomes de políticos envolvidos no esquema: dentre eles, Eduardo Campos, ex-governador de Pernambuco morto em 13 de agosto de 2014, além de Roseana Sarney (PMDB-MA) e Sérgio Cabral (PMDB-RJ).

Aprenda a investir na bolsa

Na edição desta semana da Istoé, não foram apresentados documentos nem especificadas as circunstâncias em que eles foram citados. Cid Gomes negou qualquer envolvimento com o esquema. Ao jornal Folha de S. Paulo, Delcídio Amaral também negou qualquer envolvimento com o esquema e classificou como “esdrúxula” a reportagem. Eduardo Cunha, por meio de uma rede social, destacou que não há nenhum fato citado na matéria e que citaram o seu nome de uma “forma leviana”.