Eleições 2022

Ipespe: Lula tem 44%, contra 35% de Bolsonaro; Ciro tem 9% e Simone, 4%

É a menor distância entre Lula e Bolsonaro desde junho de 2021; dupla concentra 93% dos votos válidos no cenário espontâneo, que reforça polarização

Por  Marcos Mortari -

A 69 dias das eleições, o presidente Jair Bolsonaro (PL) diminuiu a distância para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na disputa pelo Palácio do Planalto. É o que mostra pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe), divulgada nesta segunda-feira (25).

Segundo o levantamento, Lula tem 44% das intenções de voto em cenário estimulado de primeiro turno – uma oscilação negativa em 1 ponto percentual, dentro da margem de erro (2,2 p.p.), em relação à última pesquisa, divulgada em 3 de junho. O petista tem mantido esse patamar de apoio desde agosto do ano passado.

Já Bolsonaro conta com o apoio de 35% do eleitorado – oscilação positiva em 1 p.p. no mesmo comparativo. O mandatário acumula crescimento de 11 p.p. desde janeiro, reduzindo a 9 pontos sua distância para Lula. É a menor diferença entre os dois desde junho de 2021, quando Lula tinha 32% e Bolsonaro 28%, situação que configurava empate técnico.

O levantamento mostra Ciro Gomes (PDT), ex-governador do Ceará, na terceira posição, com 9% das intenções de voto na mesma simulação. Ele é seguido pela senadora Simone Tebet (MDB-MS), com 4% – seu melhor desempenho na pesquisa Ipespe. A parlamentar é a única dos quatro citados que ainda não teve a candidatura oficializada em convenção de seu partido.

O deputado federal André Janones (Avante) tem 2% das intenções de voto. Já o palestrante Pablo Marçal (Pros) e o cientista político Luiz Felipe d’Ávila (Novo) têm 1% cada um.

Os pré-candidatos José Maria Eymael (DC), Leonardo Péricles (UP), Luciano Bivar (União Brasil), Sofia Manzano (PCB) e Vera Lúcia (PSTU) não chegaram a 1%. Brancos, nulos e abstenções somam 4%, enquanto os indecisos correspondem a 2% do eleitorado.

A polarização entre Lula e Bolsonaro aparece de forma mais clara no cenário espontâneo da pesquisa – situação na qual o eleitor é perguntado em quem votaria na eleição presidencial, sem que lhe sejam apresentados nomes de possíveis candidatos. Este formato mostra maior convicção do entrevistado sobre seu voto, e, consequentemente, a cristalização do apoio aos nomes postos na disputa.

Neste cenário, Lula tem 40% das intenções de voto – oscilação positiva em 1 p.p. em comparação com a última pesquisa. Já Bolsonaro aparece com 30%, mesma variação do petista. A dupla concentra 93,3% das intenções de voto válido registradas. Ciro Gomes tem 4% de apoio, e Simone Tebet, 1%. Brancos, nulos e indecisos somam 24%. Os percentuais que não somam 100% são decorrentes de arredondamento feito pelo instituto na divulgação dos dados.

A pesquisa Ipespe também fez cinco simulações de segundo turno. Se a eleição fosse hoje, Lula derrotaria Bolsonaro por 53% a 36%. O petista também leva vantagem sobre Ciro Gomes (53% a 29%) e Simone Tebet (55% a 23%). Já Bolsonaro aparece atrás de Ciro (41% a 46%) e em situação de empate técnico, porém numericamente à frente, com Simone (41% a 39%).

Metodologia

A pesquisa Ipespe foi realizada entre os dias 20 e 22 de julho, a pedido da XP Investimentos, e está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo BR-08220/2022. O levantamento contou com 2.000 entrevistas telefônicas, conduzidas por operadores, com eleitores com 16 anos ou mais, de todas as regiões do Brasil, respeitando a proporção da população.

A margem de erro estimada é de 2,2 p.p. para cima ou para baixo. Já o intervalo de confiança é de 95,5%, o que significa que, se o questionário fosse aplicado mais de uma vez no mesmo período e sob mesmas condições, esta seria a chance de o resultado se repetir dentro do limite da margem de erro.

Compartilhe