Índices de ações europeus sobem, liderados por ações do setor de mineração

Empresas do segmento automobilístico também registram bom desempenho neste pregão; mercado avalia indicadores

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Os principais índices de ações da Europa operam em alta nesta terça-feira (1), com desempenho positivo dos setores de mineração e automóveis. Os investidores também continuam de olho na crise política na Líbia e acompanham a agenda de indicadores econômicos.

  %Var Dia  Pontos  %Var 30D  %Var Ano 
 DAX 30+0,827.332+3,23+6,04 
 CAC 40+0,604.135+3,31+8,67 
 FTSE 100+0,346.014+2,26+1,94 
 SMI+0,696.656+1,96+3,42 
 IBEX 35-0,1110.838+0,85+9,93 
 FTSE MIB+0,6022.601+2,62+12,03 

Na extensa agenda de indicadores econômicos europeus previstos para serem divulgados nesta terça-feira, o mercado deve dar maior atenção para a inflação e o desemprego na Zona do Euro. Segundo a Eurostat, agência oficial de estatísticas da Comissão Européia, o CPI (Consumer Price Index) registrou variação de 2,4% em fevereiro, ao passo que a taxa de desemprego em janeiro na região foi de 9,9%.

Aprenda a investir na bolsa

Destaques do pregão
O destaque deste pregão fica por conta do desempenho das ações do setor de mineração e automobilístico. Após a Fresnillo divulgar seu resultado, as ações da empresa avançam 2,51% em Londres. Outras mineradoras seguem trajetória semelhante: as ações da Rio Tinto ganham 1,62%, as da BHP Billiton, 1,05%, e as da Anglo American, 0,82%.

Entre as montadoras de automóveis, em Paris, os papéis da Peugeot avançam 2,22% e são acompanhados pelas ações da Renault, que marcam valorização de 0,50%. Em Frankfurt, a trajetória também é positiva: as ações da Daimler sobem 2,10%, enquanto as da BMW têm alta de 3,05% e as da Volkswagen, 1,86%.

Por outro lado, o setor financeiro aparece como destaque negativo deste pregão. Novamente em Paris, as ações do Société Générale recuam 0,45% e as do BNP Paribas, 0,57%, enquanto em Londres, os papéis do Barclays caem 0,56% e são seguidos pelos do HSBC, com queda de 2,14%.

Crise no mundo árabe
As tensões políticas no norte da África e Oriente Médio seguem na pauta dos investidores neste pregão. O foco principal fica sobre a Líbia, com os EUA e países da Europa estudando novas medidas contra o governo liderado por Muammar Khaddafi e os protestos e conflitos entre forças de segurança governistas e opositores.