Esperança petista

Indagado sobre Alckmin, Padilha mantém desafio da torneira em penúltimo ato eleitoral

O candidato ao governo de São Paulo pelo PT aproveitou para agradecer a presença de Dilma em São Paulo na última semana de campanha; ex-ministro demonstra confiança de que estará no segundo turno.

SÃO PAULO – Em seu penúltimo ato eleitoral, o candidato ao governo de São Paulo pelo PT, Alexandre Padilha, manteve em tom contundente as críticas ao governador Geraldo Alckmin (PSDB), candidato à reeleição. 

Sobre o desafio da torneira, que ele fez ao tucano após o último debate na terça-feira, Padilha respondeu confiante. “Ele tem até hoje à noite. Se não fizer agora, terá que fazer no segundo turno. Alckmin tem que parar de fugir dos debates, parar de fugir das perguntas”, disse Padilha ao chegar em São Bernado do Campo, onde realizará uma caminhada acompanhado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Padilha aproveitou para agradecer a presidente Dilma Rousseff pela sua presença em São Paula na última semana de campanha, afirmando que isso deve fortalecer ainda mais a viabilidade de sua ida ao segundo turno. 

PUBLICIDADE

“Confio que passarei ao segundo turno, em função do casamento do voto Dilma Padilha e na força dessa militância. Quem mais bota esse povo que está aqui para caminhar em pleno sábado”, explicou. 

O petista afirmou que a decisão da presidente de cancelar a agenda em São Paulo e ter ido para Minas Gerais neste sábado foi conjunta e que enfrenta a situação com naturalidade. “Não queiram encontrar pelo em ovo onde não tem”, advertiu.

Em um eventual segundo turno, o ex-ministro se compromete a questionar o tucano sobre o “Detecta, sobre os escândalos de corrupção com os quais ele convive e os problemas de falta de água”.