Revela Folha

Imposto sindical financiou campanha de Lula em 2002, afirma ex-gerente da Petrobras

A prática é vedada pela legislação eleitoral, que proíbe que sindicatos e entidades de classe façam doações eleitorais

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Conforme destacou o jornal Folha de S. Paulo de hoje, o ex-gerente de Responsabilidade Social da Petrobras Armando Tripodi afirmou em depoimento para o site institucional “Memória Petrobras” que petroleiros da Bahia usaram o imposto sindical na campanha de Lula para presidente em 2002.

“Montamos um comitê no sindicato. Aprovamos na assembleia uma contribuição. A categoria aprovou todo imposto sindical da categoria ser destinado à campanha de Lula”, afirmou o ex-gerente, ao lembrar da participação do Sindicato dos Químicos e Petroleiros da Bahia na eleição.

Conforme destaca a Folha, a prática é vedada pela legislação eleitoral, que proíbe que sindicatos e entidades de classe façam doações eleitorais. Já a prestação de contas da campanha do ex-presidente naquele ano não registra nenhum repasse do sindicato. Tripodi é suspeito de receber propina de um operador da Petrobras por meio da reforma de um apartamento, segundo a PF. Tripodi ainda afirmou no site que o imposto sindical foi um “recurso fantástico” usado em comunicação e aluguel de veículos para a campanha. 

Aprenda a investir na bolsa

Leia também:

Carteira InfoMoney tem 4 novas ações para março; confira

André Moraes diz o que gostaria de ter aprendido logo que começou na Bolsa