Disputa Acirrada

Ibope mostra que disputa pelo 2º lugar nas eleições deve ser voto a voto

Análise divulgada pelo Ibope e Estadão Dados mostra queda de 46% na chance de Marina ir ao segundo turno, mas ainda assim é o dobro da chance de Aécio Neves

SÃO PAULO – As pesquisas já tem mostrado isso, mas uma análise divulgada pelo Ibope e pelo Estadão Dados ressalta a acirrada disputa pelo segundo lugar nas eleições de domingo (5), com Marina Silva (PSB) e Aécio Neves (PSDB) cada vez mais juntos ao tentar a vaga para o segundo turno. A vantagem da pessebista caiu 46% em duas semanas, mas ela ainda tem o dobro de chances do tucano.

De acordo com o Estado de S. Paulo, em 15 de setembro, Marina tinha 3,8 vezes mais chances de ir ao segundo turno, enquanto na última terça-feira (data da última pesquisa Ibope), essa diferença caiu para 2 para 1. De acordo com a CEO do Ibope Inteligência, em entrevista para o Estadão, se o cenário se mantiver, a curva de intenções de voto dos dois candidatos deve se cruzar, mas não há como saber se isso ocorrerá antes das eleições.

Em um modelo baseado em piso e teto de votos para cada candidato, o Ibope e o Estadão Dados simularam todas as combinações possíveis de votação em Marina e Aécio, considerando os eleitores que dizem que votariam apenas em determinado candidato (o voto exclusivo), além dos eleitores “anti-PT”, “pró-PT” e “volúvel”, que podem mudar de opinião. De acordo com a última pesquisa, 67% das combinações levariam Marina ao segundo turno, enquanto 33% mostram Aécio na segunda etapa. Há duas semanas, o resultado era de 79% contra 21% para a pessebista.

Sobre os três “tipos” de eleitores, o Ibope explica que a chance de um eleitor “anti-PT” votar em Dilma tende a zero, enquanto a chance de um “pró-PT” votar nela é de mais de 80%. Para ser considerado um eleitor “pró-PT” é preciso se encaixar em pelo menos três dos seguintes critérios: benefeciário do Bolsa Família, aprova Dilma, acha seu governo bom ou ótimo, diz ter preferência partidária pelo PT e descarta afirmar que não votaria nela de jeito nenhum.

De acordo com a última pesquisa Ibope, os eleitores “pró-PT” chegam a 39% do eleitorado, enquanto os “anti-PT” são 33%, com os outros 28% se encaixando na categoria “volúvel”.